As políticas de disponibilidade, preço e propaganda reduzem o consumo de álcool entre adolescentes

Por Camila Oliveira


Em resposta aos danos globais decorrentes do consumo de álcool, a Organização Mundial de Saúde (OMS) elencou um total de dez eixos de políticas de controle, dentre estas, artigo publicado na Alcohol and Alcoholism em setembro de 2019, se aprofundou em três, sendo: políticas de redução da disponibilidade do álcool; restrição sobre a publicidade e aumento do preço de bebidas alcoólicas.

O objetivo deste estudo foi determinar se a experimentação, o consumo atual e o consumo excessivo de álcool entre adolescentes são influenciados pela força das políticas de controle do álcool. Os resultados sugerem que políticas fortes podem desempenhar um papel na prevenção de adolescentes e reduzir tanto a iniciação quanto o consumo excessivo de álcool.

Prevenir o início precoce e o consumo excessivo de álcool é uma prioridade da saúde pública mundialmente, pois ambos são preditores de abuso e dependência na idade adulta. Essas descobertas são consistentes com pesquisas anteriores e podem ajudar os governos e legisladores a desenvolverem medidas abrangentes de controle para reduzir o consumo de álcool por adolescentes.

Fonte: https://academic.oup.com/alcalc/advance-article/doi/10.1093/alcalc/agz068/5574378


Copyright © 2019. Todos os direitos são reservados ao Núcleo de Pesquisa em Prevenção ao Uso de Álcool e outras drogas (Previna). O conteúdo deste site é protegido pela Lei de direitos autorais (Lei nº 9.610/1998), sendo vedada a sua reprodução, total ou parcial, a partir desta obra, por qualquer meio ou processo eletrônico, digital, ou mecânico (sistemas gráficos, microfílmicos, fotográficos, reprográficos, de fotocópia, fonográficos e de gravação, videográficos) sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais.