Efeitos da primeira versão do programa #Tamojunto no comportamento sexual de risco

Por Juliana Y Valente


Um estudo realizado pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) pesquisou o efeito de um programa de prevenção escolar no comportamento sexual de risco dos adolescentes. O estudo em questão é um ensaio controlado randomizado que foi realizado entre 2014-2015, em cinco cidades brasileira, para avaliar o efeito da primeira versão do programa #Tamojunto entre os alunos de 7º e 8º anos (média de idade 12.6 ± 0.8 anos).

O programa #Tamojunto é uma versão adaptada do programa Europeu Unplugged. O programa não foi originalmente desenvolvido esperando encontrar algum efeito no comportamento sexual de risco dos adolescentes, no entanto o programa ensina habilidades sociais e pessoais que também podem acabar influenciando no comportamento sexual. Além disso, já é bem documentada na literatura a co-ocorrência de comportamentos de risco na adolescência, tais como a associação entre uso de drogas e os comportamentos sexuais de risco. Nesse sentido, o Ministério da Saúde, responsável pela implementação do programa, tinha interesse em investigar se o programa poderia apresentar algum efeito no comportamento sexual de risco dos adolescentes.

Contrário ao esperado, o que os pesquisadores encontraram foi um efeito negativo do programa no comportamento sexual de risco. O programa mostrou estar associado com um aumento de 27% na chance de os adolescentes reportarem iniciação sexual precoce, quando comparado ao grupo controle. Além disso, as meninas do grupo de intervenção evidenciaram uma maior probabilidade de ter praticado sexo sem preservativo no último mês.

Os resultados despertam preocupações devido ao potencial aumento nos comportamentos sexuais risco e o que sugere uma investigação mais aprofundada do possível papel mediador dos componentes de intervenção de habilidades para a vida nos comportamentos sexuais.


Fonte: https://link.springer.com/article/10.1007/s10508-021-01977-y#citeas