Insatisfação corporal e comportamentos alimentares inadequados são preditores de uso de drogas

Por Mireille Almeida

Estudo da Universidade do Oeste da Inglaterra avaliou uma coorte de 4.318 adolescentes (2.634 meninas e 1.684 meninos) e investigou o efeito da insatisfação corporal aos 14 anos de idade e de comportamentos alimentares inadequados aos 16 anos de idade na manifestação de comportamentos de risco (como automutilação, jogos de azar, uso de álcool em excesso, cigarro, maconha e outras drogas) aos 21 anos de idade.

Os autores concluíram que nas meninas, a insatisfação corporal era preditora do uso de cigarro, maconha e outras drogas, e os comportamentos alimentares inadequados mediavam parcialmente a relação entre a insatisfação corporal e o uso de substâncias e mediavam totalmente a relação entre a insatisfação corporal e os episódios de automutilação. Nos meninos, a insatisfação corporal predizia o uso de cigarro apenas, mas não foram encontrados mediadores desse efeito, tampouco associação entre comportamentos alimentares inadequados na adolescência e comportamentos de risco na vida adulta.

Dessa forma, essa pesquisa sugere que os jovens que se sentem mal em relação à sua aparência, apresentam um risco aumentado para o desenvolvimento de alterações do comportamento alimentar e posteriormente para a ocorrência de comportamentos de risco prejudiciais à saúde.

Fonte: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0277953619304526



Copyright © 2019. Todos os direitos são reservados ao Núcleo de Pesquisa em Prevenção ao Uso de Álcool e outras drogas (Previna). O conteúdo deste site é protegido pela Lei de direitos autorais (Lei nº 9.610/1998), sendo vedada a sua reprodução, total ou parcial, a partir desta obra, por qualquer meio ou processo eletrônico, digital, ou mecânico (sistemas gráficos, microfílmicos, fotográficos, reprográficos, de fotocópia, fonográficos e de gravação, videográficos) sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais.