O estresse psicológico durante a pandemia de Covid-19 foi responsável pelo maior consumo de álcool

Por Rodrigo Cerde


Uma pesquisa desenvolvida em 38 países de todos os continentes avaliou o incremento de uso de álcool durante os primeiros meses de isolamento social decorrente da pandemia de COVID-19 em 2020.

Dos 37.206 adultos participantes, a maioria foi mulher, com uma idade média de 37 anos, e 1 em 5 incrementaram o uso de álcool durante a pandemia. Pouco mais da metade teve sintomas de estresse.

As pessoas com as seguintes características tinham maior chance de incrementar seu consumo de álcool durante a pandemia: ser mulher, ter menos de 50 anos, ter uma escolaridade alta, morar com crianças, fazer home-office e apresentar sintomas de estresse psicológico.

Os resultados deste estudo são semelhantes aos do outro realizado em 35 países da América Latina e do Caribe na mesma época. Nessa outra pesquisa foram analisados dados de 12.328 pessoas e encontrou-se também que as pessoas que apresentavam sintomas de ansiedade e aquelas com maior nível de renda tinham maiores chances de incrementar seu uso durante a pandemia. No entanto, as mulheres tiveram menos chance de incrementar seu consumo de álcool, ao contrário da pesquisa mundial, o que sugere que pode haver influências culturais no impacto da pandemia nas mulheres


Pesquisa em 38 países do mundo: https://doi.org/10.3389/fpsyt.2021.802037

Pesquisa em 35 países da América Latina: https://doi.org/10.26633/RPSP.2021.52