O impacto da pandemia COVID-19 na saúde mental dos adolescentes

Por Pollyanna Pimentel

A pandemia COVID-19 afetou milhares de pessoas no mundo todo de diferentes formas, quer seja pelas mais de 2 milhões de mortes, quer seja pelas restrições que foram impostas para a convivência social. As principais medidas sanitárias para evitar a transmissão entre as pessoas foram isolamento, distanciamento físico e social e uso de máscaras.

Essas medidas restritivas e protetivas tiveram impactos importantes na saúde mental de toda sociedade. Dentre as populações afetadas pela pandemia, temos o público adolescente que neste momento, assim como outros públicos de maneira geral, necessitou da capacidade psicológica de resiliência para poder lidar com situações de crise.

Estudo publicado recentemente analisou pesquisas disponíveis sobre a saúde mental dos adolescentes no contexto da pandemia tendo incluído 40.076 participantes. O objetivo foi avaliar globalmente a saúde mental dos adolescentes de forma geral e de população especial de adolescentes [incluiu adolescentes Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgêneros e Queer (LGBTQ), adolescentes diagnosticados com anorexia nervosa, adolescentes maltratados na pré-pandemia e adolescentes diagnosticados com transtorno obsessivo-compulsivo (TOC)] na faixa etária de 13 a 17 anos.

Dentre os resultados identificados, destaca-se o impacto negativo à saúde mental da quarentena domiciliar e das discussões entre pais e filhos.  Os benefícios positivos foram relacionados com a aproximação e mais conversas familiares entre pais e filhos durante o isolamento domiciliar. Além disso, observou-se uma associação entre a pandemia e maiores taxas de ansiedade, depressão e excesso do uso de mídias sociais, como a dependência em smartphone. O resultado de uma pesquisa reconheceu o aumento da frequência de uso de drogas, como álcool e maconha, entre adolescentes durante a pandemia.

Outras situações retratadas foram adolescentes que se viram forçados a lidar com famílias sem apoio devido à orientação sexual, com a falta de suporte social e médico em relação a vários distúrbios pré-pandêmicos, com um estresse adicional em relação ao futuro e lidando com novos e antigos estresses de traumas anteriores. Em virtude do fechamento das escolas e dos novos métodos de aprendizagem, surgiram novas formas de se conectar e de socializar e tal mudança gerou comportamentos desafiadores.

A adolescência é uma fase de descobertas, de transição e de amadurecimento para fase adulta. Os resultados permitirão que seja possível criar intervenções para a saúde mental dos adolescentes, com o objetivo de fortalecimento de vínculos, habilidades de vida e sociais.


Fonte: Jones, E., Mitra, A. K., & Bhuiyan, A. R. (2021). Impact of COVID-19 on Mental Health in Adolescents: A Systematic Review. International journal of environmental research and public health, 18(5), 2470. https://doi.org/10.3390/ijerph18052470