top of page

Quanto mais locais para consumo de álcool no bairro, maior o uso desta substância por adolescentes

Por Rodrigo Garcia Cerde

O controle de acesso ao álcool é considerado uma estratégia de alta efetividade para reduzir seu consumo e, consequentemente, as consequências negativas na saúde dos adolescentes. Estudo publicado recentemente por pesquisadores da UFMG avaliou a relação entre a densidade de estabelecimentos de venda de bebidas alcoólicas e o consumo de álcool entre adolescentes de 14 a 17 anos em Belo Horizonte, Brasil. Utilizando dados do estudo “Saúde em Beagá”, identificaram uma associação entre a densidade de estabelecimentos que vendem bebidas alcoólicas no entorno de 200 metros do domicilio dos adolescentes e o consumo recente de álcool. Identificaram que quanto mais estabelecimentos que vendem álcool para consumo no local, como bares, lanchonetes e restaurantes, havia nos arredores destes domicílios, maior era o consumo de álcool dos adolescentes. Por isso, uma das recomendações que oferecem os autores é que tais estabelecimentos deveriam concentrar ações de políticas públicas ligadas à fiscalização e ao controle de seu funcionamento, visando reduzir a venda para menores de idade. Este estudo é um dos poucos a avaliar a questão da densidade dos pontos de venda de álcool no Brasil e seu impacto nos padrões de consumo da população, apesar de haver ampla literatura internacional sobre este tema. De fato, no Brasil, foi possível identificar resultados semelhantes aos internacionais.

コメント


bottom of page