Universitários do Brasil praticam menos "esquenta", mas bebem em quantidade maior do que Britânicos


Mundialmente, beber antes de sair para baladas ou festas (“esquenta”) é identificado como um comportamento comum entre estudantes universitários, pois oferece uma oportunidade de prolongar a duração do consumo de bebida e socializar com os amigos. No entanto, diversos estudos sugerem associações entre a prática do “esquenta” e danos relacionados ao consumo de álcool, com grande parte do trabalho ocorrendo na América do Norte, Canadá, países europeus e Nova Zelândia. Na América Latina, particularmente no Brasil, há uma carência de estudos sobre “esquenta” e consumo de álcool entre universitários no contexto da vida noturna.

Neste contexto, a pesquisadora Dra. Mariana Guedes realizou uma pesquisa online com 1.151 estudantes do Brasil e 424 da Inglaterra e foi evidenciado que a prática do “esquenta” foi mais prevalente entre os estudantes da Inglaterra (82,8%) que no Brasil (44,0%), porém durante o “esquenta” estudantes brasileiros beberam mais álcool do que estudantes britânicos. Foi constatado também que este comportamento do “esquenta” estava associado a maiores chances de os estudantes do Brasil e da Inglaterra sofrerem uma série de danos associados ao consumo excessivo de álcool, como por exemplo, apagões e faltar as aulas da universidade.

Os dados confirmam a importância da prática do “esquenta” entre os universitários do Brasil e da Inglaterra, portanto, prevenir a prática do “esquenta” pode ser uma estratégia crucial para reduzir o consumo excessivo de álcool e os danos relacionados no contexto da vida noturna em países com diversos ambientes de vida noturna e culturas de consumo de álcool.


Fonte: Santos MGR, Sanchez ZM, Hughes K, Gee I, Quigg Z (2022) Pre-drinking, alcohol consumption and related harms amongst Brazilian and British university students. PLoS ONE 17(3): e0264842. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0264842