Copyright © 2019. Todos os direitos são reservados ao Núcleo de Pesquisa em Prevenção ao Uso de Álcool e outras drogas (Previna). O conteúdo deste site é protegido pela Lei de direitos autorais (Lei nº 9.610/1998), sendo vedada a sua reprodução, total ou parcial, a partir desta obra, por qualquer meio ou processo eletrônico, digital, ou mecânico (sistemas gráficos, microfílmicos, fotográficos, reprográficos, de fotocópia, fonográficos e de gravação, videográficos) sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais.

Uso de canabinóides sintéticos pode desencadear transtornos neuropsiquiátricos em adolescentes

Por Larissa Ferraz


A toxicidade dos canabinóides sintéticos pode desencadear graves doenças, requerendo cuidados intensivos. Uma pesquisa analisou dados de toxicologia de 348 adolescentes entre 13 e 19 anos de idade que compareceram a um departamento de emergência entre 2010 e 2018 para tratamento de sintomas relacionados ao uso de maconha ou de canabinóides sintéticos. Os resultados indicam que adolescentes que usaram apenas canabinóides sintéticos tiveram maiores chances de coma e/ou depressão do sistema nervoso central e convulsões, quando comparados com aqueles que usaram apenas maconha. Além disso, os adolescentes que usaram apenas canabinóides sintéticos tiveram chances significativamente menores de agitação em comparação com aqueles que usaram apenas maconha. Ao contrário, os adolescentes que usaram canabinoides sintéticos simultaneamente a outras drogas, tiveram maior chance de apresentar agitação e convulsões. Os pesquisadores concluem que a exposição a canabinóides sintéticos foi associada a maiores chances de morbidade neuropsiquiátrica do que a exposição a maconha. No entanto, ambas estão associadas a desfechos desta natureza.