top of page

Avaliação de Programas de Prevenção Governamentais  

Do Unplugged ao #Tamojunto

unplugged.jpg
tj_edited.jpg
guia_tamojunto.png
  • 2013 

    • O Programa Unplugged (ainda em sua versão apenas traduzida para o português) foi submetido a uma primeira avaliação em um estudo de eficácia (não randomizado) que identificou um potencial efeito do programa em reduzir o uso recente de maconha e o consumo excessivo de álcool (binge drinking) por adolescentes (Sanchez et al., 2016).

    • Em paralelo também foi realizada uma avaliação do processo de implementação do programa que identificou viabilidade para sua aplicação nas escolas públicas brasileiras (Medeiros et al., 2016).

Sanchez, Z. M., Sanudo, A., Andreoni, S., Schneider, D., Pereira, A. P. D., & Faggiano, F. (2016). Efficacy evaluation of the school program Unplugged for drug use prevention among Brazilian adolescents. BMC Public Health, 16(1), 1206. https://doi.org/10.1186/s12889-016-3877-0

Medeiros, P. F. P., Cruz, J. I., R. Schneider, D., Sanudo, A., & Sanchez, Z. M. (2016). Process evaluation of the implementation of the Unplugged Program for drug use prevention in Brazilian schools. Substance Abuse Treatment, Prevention, and Policy, 11(1), 2. https://doi.org/10.1186/s13011-015-0047-9

  • 2014/2015

    • Após uma adaptação cultural realizada pela equipe do Ministério da Saúde foram feitas importantes mudanças de conteúdo nas aulas do programa que passou a ser chamado de #Tamojunto.  O #Tamojunto culturalmente adaptado foi submetido a uma nova avaliação para verificar a sua efetividade através de um grande ensaio controlado randomizado (ECR) realizado em 6 cidades brasileiras. Nesse estudo foi verificado um efeito iatrogênico do programa, já que os adolescentes do grupo de intervenção tiveram um risco 30% maior aos 9 meses (Sanchez et al., 2017) e 13% maior aos 21 meses (Sanchez et al., 2018) para iniciarem o consumo de bebidas alcoólica em comparação com os do grupo controle. 

    • A pedido do Ministério da Saúde também foi avaliado o efeito do programa no bullying. Os resultados mostraram que o programa reduziu a probabilidade dos adolescentes do grupo intervenção de serem vítimas de bullying, particularmente as meninas de 13 a 15 anos no período de acompanhamento de 9 meses, no entando esse efeito não foi sustentado após 21 meses de acompanhamento (Gusmões et al., 2018).

    • Esses resultados inesperados foram atribuídos a adaptações culturais de componentes centrais do programa, já que foram retiradas mensagens relacionadas ao não uso de álcool por adolescentes e substituídos por uma perspectiva ligada a redução de danos.

Sanchez, Z. M., Valente, J. Y., Sanudo, A., Pereira, A. P. D., Cruz, J. I., Schneider, D., & Andreoni, S. (2017). The #Tamojunto Drug Prevention Program in Brazilian Schools: a Randomized Controlled Trial. Prevention Science, 18(7), 772–782. https://doi.org/10.1007/s11121-017-0770-8

Sanchez, Z. M., Valente, J. Y., Sanudo, A., Pereira, A. P. D., Schneider, D. R., & Andreoni, S. (2018). Effectiveness evaluation of the school-based drug prevention program #Tamojunto in Brazil: 21-month follow-up of a randomized controlled trial. International Journal of Drug Policy, 60(August 2017), 10–17. https://doi.org/10.1016/j.drugpo.2018.07.006

Gusmões JDSP, Sañudo A, Valente JY, Sanchez ZM. Violence in Brazilian schools: Analysis of the effect of the #Tamojunto prevention program for bullying and physical violence. J Adolesc. 2018 Feb;63:107-117. doi: 10.1016/j.adolescence.2017.12.003. Epub 2017 Dec 27. PMID: 29288995.

  • 2019

    • Baseado nestes resultados negativos, foi desenvolvida uma nova versão do programa (alterando esses elementos responsáveis pelo potencial efeito iatrogênico) chamada de #Tamojunto 2.0. Em 2019, novo ECR foi conduzido e os resultados mostraram o programa #Tamojunto2.0 é capaz de reduzir as chances de os alunos do 8º ano iniciarem o uso de álcool em 22%, revertendo o resultado iatrogênico identificado no estudo anterior (Sanchez et al., 2021).

    • Os resultados sugerem que o programa #Tamojunto2.0 é eficaz em retardar o consumo de álcool por meio do aumento de crenças negativas e não positivas sobre o álcool (Garcia-Cerde et al., 2023).

    • O programa também mostrou ter efeito positivo na diminuição do bullying (tanto a vitimização quanto a prática), sendo esse efeito mediado pela diminuição no uso de álcool (Valente et al., 2023).

    • Em paralelo foi conduzida uma avaliação do processo de implementação do programa que apresentadou aspectos que facilitam e dificultam a implementação do programa. Este estudo identificou que o baixa fidelidade na implementação, boa qualidade na aplicação do programa e alto absenteísmo dos alunos (Melo et al., 2022)

Sanchez, Z. M., Valente, J. Y., Galvão, P. P., Gubert, F. A., Melo, M. H. S., Caetano, S. C., Mari, J. J., & Cogo‐Moreira, H. (2021). A cluster randomized controlled trial evaluating the effectiveness of the school‐based drug prevention program #Tamojunto2.0. Addiction, add.15358. https://doi.org/10.1111/add.15358

Garcia-Cerde R, Valente JY, Sanchez ZM. Changes in alcohol beliefs mediate the effects of a school-based prevention program on alcohol use among Brazilian adolescents. Addict Behav. 2023 Feb;137:107522. doi: 10.1016/j.addbeh.2022.107522. Epub 2022 Oct 10. PMID: 36242996.

Valente JY, de Oliveira Galvão PP, Mari JJ, Sanchez ZM. The Indirect Effect of #Tamojunto2.0 Program on Bullying Through Reduction of Alcohol Use Initiation. J Adolesc Health. 2023 Jul;73(1):118-126. doi: 10.1016/j.jadohealth.2023.02.023. Epub 2023 Apr 14. PMID: 37061905.

Melo, M. H. da S., Freitas, I. da S., Brandão, L. C., Gubert, F. do A., Rebouças, L. N., & Sanchez, Z. van der M. (2022). Evaluation of the Implementation Process of the #Tamojunto2.0 Prevention Program in Brazilian Schools. Paidéia (Ribeirão Preto), 32. https://doi.org/10.1590/1982-4327e3220

Do Good Behavior Game ao Elos

elos.jpg
Elos.jpg
  • 2014/2016
    • Após passar por uma adaptação cultural o programa americano Good Behavior Game, renomeado Elos no Brasil, foi submetido a uma avaliação de eficácia através de ensaio não randomizado. Os resultados mostraram evidência de redução da agressividade entre meninos com idade média de 8 anos  (​Schneider et al., 2022).
Schneider, D. R., Garcia, D., D’Tolis, P. O. A. O., Ribeiro, A. M., Cruz, J. I. da, & Sanchez, Z. M. (2022). Elos Program’s Efficacy Evaluation in School Management of Child Behavior: A Non-Randomized Controlled Trial. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 38. https://doi.org/10.1590/0102.3772e38315.en
 
  • 2019
    • Após passar por mais uma revisão o programa passou a ser chamado Elos 2.0 e foi submetido a uma avaliação de efetividade através de um ensaio controlado randomizado (Mariano et al., 2022). Os resultados apostam para efeitos positivos do programa em três medidas de saúde mental:  melhora na concentração, redução de comportamento disruptivo e aumento de comportamento pro-social. A redução destes comportamentos na infância é preditora importante de menor consumo de drogas na adolescência.
Mariano, M., da Silva, A. R., Lima, J. L. S., de Pinho, N. T., Cogo-Moreira, H., Melo, M. H. S., Mari, J. J., Sanchez, Z. M., & Caetano, S. C. (2021). Effectiveness of the Elos 2.0 prevention programme for the reduction of problem behaviours and promotion of social skills in schoolchildren: study protocol for a cluster-randomized controlled trial. Trials, 22(1), 468. https://doi.org/10.1186/s13063-021-05408-0
 
Caetano, S.C., Mariano, M., da Silva, A.R. et al. Effectiveness of the Elos 2.0 Program, a Classroom Good Behavior Game Version in Brazil. Int J Ment Health Addiction (2024). https://doi.org/10.1007/s11469-024-01256-6

Do Strengthening Families Program ao Familias Fortes 

ff.jpg
  • 2014/2015
    • Strengthening Families Program (SFP 10-14) inicialmente foi submetido a uma avaliação de necessidades para identificar adequação cultural do programa para as famílias brasileiras. Os resultados mostraram que o programa foi percebido como suficientemente atraente, culturalmente relevante e parcialmente claro pela população brasileira, sendo feitas recomendações para adaptação cultural e melhoria da qualidade da implementação (Murta et al., 2018). Além disso, também foi avaliada a validade social do programa junto a população brasileira e percepção das famílias sobre os efeitos do programa. Os resultados mostraram que os objetivos do programa são considerados socialmente relevantes e que houve percepção de impacto positivo na coesão familiar, no estilo parental autoritativo e nas habilidades de vida do adolescente (Murta et al., 2020). 
    • Foi realizado um estudo quasi-experimental (sem grupo controle) para avaliar o efeito do programa e os resultados mostraram efeitos mistos do programa: evidenciando potencial de aumentar a autoeficácia dos jovens para a leitura mas também as faltas escolares (sem permissão dos pais) (Murta et al., 2021).

Murta, S. G., Nobre-sandoval, L. D. A., Pedralho, M. D. S., Nayara, T., Tavares, G., Eduardo, C., Landim, P., Allen, D., & Coombes, L. (2018). Needs assessment for cultural adaptation of Strengthening Families Program ( SFP 10-14-UK ) in Brazil.

Murta, S. G., Nobre-Sandoval, L., Rocha, V. P. S., Miranda, A. A. V., Duailibe, K. D., Farias, D. A., de Menezes, J. C. L., Abdala, I. G., do Socorro Mendes Gomes, M., & do Amaral Vinha, L. G. (2020). Social Validity of the Strengthening Families Program in Northeastern Brazil: the Voices of Parents, Adolescents, and Facilitators. Prevention Science. https://doi.org/10.1007/s11121-020-01173-9.

Murta, S. G., Vinha, L. G. do A., Nobre-Sandoval, L. de A., Rocha, V. P. S., Duailibe, K. D., Gomes, M. do S. M., Farias, D. A., & Foxcroft, D. (2021). Exploring the short-term effects of the Strengthening Families Program on Brazilian adolescents: a pre-experimental study. Drugs: Education, Prevention and Policy, 28(3), 267–277. https://doi.org/10.1080/09687637.2020.1769030.

  • 2021
    • Está em andamento um estudo para avaliar a efetividade do programa através de ensaio controlado randomizado (padrão ouro para avaliação de efeito de intervenções) em 13 municípios brasileiros e os resultados estão em fase de publicação.
    • Para informações sobre os resultados preliminares clique aqui .​
 

PROERD - Caindo na Real  (keepin' it REAL)

proerd.jpg
7ANO.png
  • 2019
    • ​O Proerd (Programa de Resistência às Drogas e Violência) foi submetido a primeira avaliação de efetividade através de ensaio controlado randomizado para verificar o efeito do atual currículo “Caindo na Real” (uma tradução do programa americado keepin' it REAL) na prevenção ao uso de drogas e violêncio. Foram realizados dois ensaios controlados randomizados para avaliar o efeito dos currículos do 5º e 7º anos do Proerd entre 4.030 estudantes, em 30 escolas estaduais da cidade de São Paulo. Os resultados mostraram que o Proerd apresentou efeito neutro/nulo nos dois currículos avaliados (5º e 7º anos) para prevenção do uso de álcool e outras drogas (Sanchez et al., 2021; Valente & Zila, 2022 ) e para o bullying (Ferreira-Junior et al., 2022).
    • Em relação ao efeito do programa nos desfechos secundários,  foi identificado um efeito positivo na qualidade da experiência escolar percebida pelos estudantes no currículo do 7º ano. Entretanto, também foram evidenciados efeitos negativos no currículo do 7º ano, como aumento na intenção de uso futuro de cigarro e na intenção de aceitar oferta de maconha no futuro (Valente et al., 2021). Foi identificado, ainda, que os adolescentes que já se embriagavam antes do estudo, tiveram até três vezes mais chances de manter essa prática quando comparados aos que não participaram do programa (Sanchez et al., 2021). 
    • A avaliação do processo de implementação revelou aspectos importantes que podem influenciar a fidelidade de implementação e consequentemente a efetividade do programa, como adaptações feitas por instrutores durante a aplicação do programa e dificuldades em relação a infra-estrutura para a implementação (Gusmões et al., 2022).
    • Os achados deste estudo apontam a necessidade da adaptação cultural do currículo do Keepin’ it Real (KIR) para a realidade brasileira, avaliação da fidelidade de implementação e das adaptações que têm sido realizadas em sala de aula, supervisão da implementação pelos coordenadores do programa e reavaliação do programa após as adaptações.

Sanchez, Z. M., Valente, J. Y., Gusmões, J. D. P., Ferreira-Junior, V., Caetano, S. C., Cogo-Moreira, H., & Andreoni, S. (2021).Effectiveness of a school-based substance use prevention program taught by police officers in Brazil: Two cluster randomized controlled trials of the PROERD. International Journal of Drug Policy, 98, 103413. https://doi.org/10.1016/j.drugpo.2021.103413

Valente, J.Y., Sanchez, Z.M. Mediating Factors of a Brazilian School-Based Drug Prevention Program. Int J Ment Health Addiction (2022). https://doi.org/10.1007/s11469-022-00805-1

Valente, J. Y., & Sanchez, Z. M. (2021). Short ‑Term Secondary Effects of a School-Based Drug Prevention Program : Cluster-Randomized Controlled Trial of the Brazilian Version of DARE ’ s Keepin ’ it REAL. Prevention Science, 0123456789. https://doi.org/10.1007/s11121-021-01277-w

Ferreira‐Junior, V., Valente, J. Y., Andreoni, S., & Sanchez, Z. M. (2022). Effectiveness of D.A.R.E/Keepin’ it REAL bullying prevention program among Brazilian students. Journal of Adolescence. https://doi.org/10.1002/jad.12115

Gusmoes, J. D., Garcia-Cerde, R., Valente, J. Y., Pinsky, I., & Sanchez, Z. M. (2022). Implementation fidelity of a Brazilian drug use prevention program and its effect among adolescents: a mixed-methods study. Substance Abuse Treatment, Prevention, and Policy, 17(1), 71. https://doi.org/10.1186/s13011-022-00496-w

bottom of page