Tabaco

O que é Tabaco?

O tabaco é um produto processado a partir das folhas de uma planta, que são secas e fermentadas. O tabaco contém nicotina, um ingrediente que pode levar a dependência, e é por isso que muitas pessoas que usam tabaco têm dificuldade em parar. Existem também muitos outros produtos químicos potencialmente nocivos à saúde encontrados no tabaco ou derivados de sua queima.

Como as pessoas usam o tabaco?

tabaco_ss.jpg

As pessoas podem fumar, mastigar ou cheirar tabaco. Os produtos oriundos do tabaco fumado incluem cigarros e charutos, por exemplo. Algumas pessoas também fumam tabaco em cachimbos e narguilés. Os produtos de tabaco mascado incluem tabaco de mascar, rapé, mergulho e snus, sendo que o rapé também pode ser cheirado. Hoje em dia, há consumo de nicotina através de cigarros eletrônicos, o que não envolve diretamente a folha do tabaco.

Os adolescentes estão consumindo cigarro e outros produtos derivados do tabaco?

A Pesquisa Nacional do Estudante (PeNSE) de 2019 mostrou que a 22,6% dos escolares de 13 a 17 anos reportaram já terem fumado cigarro alguma vez na vida. Esse indicador se apresentou de forma equivalente em relação ao sexo: 22,5% nos homens e 22,6 nas mulheres. Porém, a exposição ao cigarro aparece mais precocemente nas meninas de 13 a 15 anos (18,4%) do que nos meninos (15,6%) da mesma faixa de idade. Já para os adolescentes de 16 e 17 anos os meninos apresentam um indicador de experimentação do cigarro significativamente maior, de 35,0%, enquanto para as mulheres dessa mesma faixa de idade é de 30,3%.

Em relação ao consumo atual de cigarros, medido pelo consumo ocorrido nos últimos 30 dias anteriores à data da pesquisa, ele foi de 6,8% para os escolares de 13 a 17 anos do País, atingindo o maior valor na Região Sul (8,0%) e o menor na Região Nordeste (4,7%).

O consumo de outros produtos do tabaco nos 30 dias anteriores à pesquisa revelou um percentual de 7,8% para o narguilé, 2,8% para o cigarro eletrônico, 2,6% para os cigarros enrolados à mão (palha ou papel) e 0,8% para cigarros de cravo (cigarros de Bali), entre os escolares de 13 a 17 anos que haviam experimentado alguma vez na vida algum produto do tabaco diferente do cigarro.

Como o tabaco afeta o cérebro?

A nicotina, contida em qualquer produto de tabaco, é prontamente absorvida pelo sangue quando uma pessoa a usa. Ao entrar no sangue, a nicotina estimula imediatamente as glândulas suprarrenais a liberarem o hormônio epinefrina (adrenalina). A epinefrina estimula o sistema nervoso central e aumenta a pressão arterial, a respiração e a frequência cardíaca. Tal como acontece com outras drogas como cocaína, a nicotina ativa os circuitos de recompensa do cérebro e também aumenta os níveis de dopamina, que reforçam comportamentos recompensadores. Estudos sugerem que outros produtos químicos contidos na fumaça do tabaco, como o acetaldeído, podem aumentar os efeitos da nicotina no cérebro.

Quais são os outros efeitos do uso do tabaco para a saúde?

1903591345.jpg

Embora a nicotina seja a  substância responsável por causar dependência, a maioria dos efeitos graves do uso do tabaco para a saúde vem de outros produtos químicos. O tabagismo pode levar ao câncer de pulmão, bronquite crônica e enfisema, além de aumentar o risco de doença cardíaca, que podem levar a acidente vascular cerebral ou ataque cardíaco. Fumar também tem sido associado a outros tipos de câncer, leucemia, catarata, diabetes tipo 2 e pneumonia. Todos esses riscos também se aplicam ao uso de tabaco para narguilé. 

Mulheres grávidas que fumam cigarros correm um risco aumentado de aborto espontâneo, de darem a luz a bebês natimortos, prematuros ou bebês que apresentem baixo peso ao nascer. Fumar durante a gravidez também pode estar associado a problemas de aprendizagem e comportamentais em crianças.

As pessoas que ficam perto de outras que fumam estão expostas ao fumo passivo, proveniente da extremidade queimada do produto do tabaco ou exalado pela pessoa que está fumando. A exposição ao fumo passivo também pode levar ao desenvolvimento de câncer de pulmão, doenças cardíacas e problemas respiratórios como tosse, catarro, função pulmonar reduzida, pneumonia e bronquite. As crianças expostas ao fumo passivo correm um risco maior de infecções de ouvido, asma grave, infecções pulmonares e síndrome da morte súbita infantil.

O que são os Cigarros Eletrônicos?

Os dispositivos vaping (vape) são aparelhos operados por bateria que as pessoas usam para inalar um aerossol, que normalmente contém nicotina (embora nem sempre), aromatizantes e outros produtos químicos. Eles podem se assemelhar a cigarros tradicionais de tabaco, charutos ou cachimbos, ou até mesmo itens do dia a dia, como canetas ou cartões de memória USB. Outros dispositivos, como aqueles com tanques recarregáveis, podem parecer diferentes. Independentemente de seu design e aparência, esses dispositivos geralmente funcionam de maneira semelhante e são feitos de componentes semelhantes. Mais de 460 marcas diferentes de cigarros eletrônicos estão atualmente no mercado.  

20191120124057_1200_675_-_cigarro_eletronico.jpg

Como funcionam os dispositivos vaping?

A maioria dos cigarros eletrônicos consiste em quatro componentes diferentes, incluindo:

  • um cartucho ou reservatório ou cápsula, que contém uma solução líquida (e-liquid ou e-juice) contendo quantidades variadas de nicotina, aromatizantes e outros produtos químicos

  • um elemento de aquecimento (atomizador)

  • uma fonte de energia (geralmente uma bateria)

  • um bocal que a pessoa usa para inalar

 

Em muitos cigarros eletrônicos, a baforada ativa o dispositivo de aquecimento alimentado por bateria, que vaporiza o líquido no cartucho. A pessoa então inala o aerossol ou arerosol resultante (chamado vaping). 

Como o vaping afeta o cérebro?

A nicotina nos e-líquidos é prontamente absorvida dos pulmões para a corrente sanguínea quando uma pessoa vaporiza um cigarro eletrônico. Ao entrar no sangue, a nicotina estimula as glândulas suprarrenais a liberar o hormônio epinefrina (adrenalina). A epinefrina estimula o sistema nervoso central e aumenta a pressão arterial, a respiração e a frequência cardíaca. Tal como acontece com a maioria das substâncias viciantes, a nicotina ativa os circuitos de recompensa do cérebro e também aumenta os níveis de um mensageiro químico no cérebro chamado dopamina, que reforça os comportamentos de recompensa. O prazer causado pela interação da nicotina com o circuito de recompensa motiva algumas pessoas a usar a nicotina repetidamente, apesar dos riscos à sua saúde e bem-estar.

Quais são os efeitos do vapor para a saúde? É mais seguro do que fumar cigarros de tabaco?

Ainda não há consenso na literatura. Alguns estudos sugerem que os dispositivos vaping podem ser menos prejudiciais do que os cigarros combustíveis quando as pessoas que fumam regularmente mudam para eles como um substituto completo. No entanto, não são aparatos cujo efeito é necessariamente melhor que os outros substitutos de nicotina, como os patchs. Mas a nicotina em qualquer forma é uma droga com um grande potencial de causar dependência. Por outro lado, a evidência de que a substituicao do tabaco pelo vape pode dificultar o processo de abstinencia de tabagistas que querem cessar de vez o consumo de tabaco. Pesquisas sugerem que o uso dos cigarros eletrônicos ao estimular o sistema de recompensa do cérebro, pode também colocar seus usuários em risco de dependência de outras drogas.

Além disso, o uso de cigarros eletrônicos expõe os pulmões a uma variedade de produtos químicos, incluindo aqueles adicionados a líquidos eletrônicos e outros produtos químicos produzidos durante o processo de aquecimento/vaporização. Um estudo de alguns produtos de cigarro eletrônico descobriu que o vapor contém substâncias cancerígenas conhecidas e produtos químicos tóxicos, bem como nanopartículas de metal potencialmente tóxicas do próprio dispositivo. O estudo mostrou que os e-líquidos de certas marcas semelhantes a cigarros contêm altos níveis de níquel e cromo, que podem vir das bobinas de aquecimento de nicromo do dispositivo de vaporização. Cigarros eletrônicos também podem conter baixos níveis de cádmio, um metal tóxico também encontrado na fumaça do cigarro que pode causar problemas respiratórios e doenças. Mais pesquisas são necessárias sobre as consequências para a saúde da exposição repetida a esses produtos químicos. Há também relatos de doenças pulmonares e mortes relacionadas à inalação de certos óleos vaping nos pulmões, que não têm como filtrar ingredientes tóxicos. 

Um dos aspectos que tem gerado preocupação de especialistas é o fato de o controle de venda destes dispositivos ser quase inexistente no Brasiil, permitindo fácil acesso aos adolescentes, que se atraem pelos cheiros e aromas doces dos e-liquids.

Quais os riscos de fumar cigarros eletrônicos?

A Food and Drug Administration (FDA) dos Estado Unidos alertou sobre as centenas de relatos de doenças pulmonares graves associadas ao vaping, incluindo várias mortes. Eles estão trabalhando com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) americano para investigar a causa dessas doenças. Muitos dos produtos suspeitos testados pelos estados ou autoridades federais de saúde foram identificados como produtos vaping contendo THC, o principal ingrediente psicotrópico da maconha. Alguns dos pacientes relataram usarem uma mistura de THC e nicotina; e alguns relataram utilizar apenas nicotina. Nenhuma substância foi identificada em todas as amostras testadas e não está claro se as doenças estão relacionadas a um único composto. Até que mais detalhes sejam conhecidos, os funcionários do FDA alertaram as pessoas para não usarem produtos vaping comprados na rua e alertam contra a modificação de quaisquer produtos comprados nas lojas, relatar quaisquer efeitos adversos. 

Efeitos na saúde para adolescentes

Os anos da adolescência são críticos para o desenvolvimento do cérebro, que continua até a idade adulta jovem. Os jovens que usam produtos de nicotina de qualquer forma, incluindo cigarros eletrônicos, correm o risco de efeitos duradouros. Como a nicotina afeta o desenvolvimento do sistema de recompensa do cérebro, o vaping contínuo de nicotina pode não apenas levar ao vício em nicotina, mas também pode tornar outras drogas, como cocaína e metanfetamina, mais prazerosas para o cérebro em desenvolvimento de um adolescente. A nicotina também afeta o desenvolvimento de circuitos cerebrais que controlam a atenção e o aprendizado. Outros riscos incluem transtornos de humor e problemas permanentes com o controle de impulsos – falha em combater um desejo ou impulso que pode prejudicar a si mesmo ou a outros

O vaping pode ajudar uma pessoa a parar de fumar?

Algumas pessoas acreditam que os cigarros eletrônicos podem ajudar a diminuir os desejos de nicotina naqueles que estão tentando parar de fumar. No entanto, os cigarros eletrônicos não são um auxílio para parar de fumar e não há evidências científicas conclusivas sobre a eficácia do vaping para a cessação do tabagismo a longo prazo. No entanto, existem outras estratégias para ajuda a parar de que são aprovadas pela ANVISA que são comprovadamente seguras e podem ser eficazes quando usadas conforme as instruções. O vaping da nicotina não foi completamente avaliado em estudos científicos. Por enquanto, não existem dados suficientes sobre a segurança dos cigarros eletrônicos, como os efeitos na saúde se comparam aos cigarros tradicionais e se eles são úteis para pessoas que tentam parar de fumar.

O uso do tabaco pode levar a dependência?

Para muitos que usam tabaco, as alterações cerebrais provocadas pela exposição contínua à nicotina resultam em dependência. 

Quando uma pessoa tenta parar, ela pode ter sintomas de abstinência, incluindo:

-irritabilidade

-problemas em prestar atenção

-problemas para dormir

-aumento do apetite

-desejos poderosos de tabaco

Como as pessoas podem obter tratamento para a dependência da nicotina?

Tanto os tratamentos comportamentais quanto os medicamentos podem ajudar as pessoas a parar de fumar, mas a combinação de medicação com aconselhamento psicológico é mais eficaz do que qualquer um dos métodos isolados.

 

Tratamentos Comportamentais

Os tratamentos comportamentais usam uma variedade de métodos para ajudar as pessoas a parar de fumar, desde materiais de autoajuda até aconselhamento. Esses tratamentos ensinam as pessoas a reconhecer situações de alto risco e desenvolver estratégias para lidar com elas. Por exemplo, as pessoas que convivem com outras que fumam são mais propensas a fumar e menos propensas a parar.

 

Terapias de reposição de nicotina

Os atuais produtos para realização da terapias de reposição de nicotina (NRTs) incluem goma de mascar, adesivo transdérmico, sprays nasais, inaladores e pastilhas. Os NRTs fornecem uma dose controlada de nicotina para aliviar os sintomas de abstinência enquanto a pessoa tenta parar.

 

Outros medicamentos

A bupropiona é um medicamento que ajuda as pessoas a parar de fumar. Ele tem como alvo os receptores de nicotina no cérebro, aliviando os sintomas de abstinência e bloqueando os efeitos da nicotina se as pessoas começarem a fumar novamente.

Uma pessoa pode ter overdose de nicotina?

Embora incomum, a overdose por nicotina é possível. Uma overdose ocorre quando a pessoa usa muito de uma droga e tem uma reação tóxica que resulta em sintomas graves e prejudiciais ou morte. O envenenamento por nicotina geralmente ocorre em crianças pequenas que acidentalmente mastigam chicletes de nicotina ou adesivos usados para parar de fumar, ou engolem líquido de cigarro eletrônico. Os sintomas incluem dificuldade em respirar, vômitos, desmaios, dor de cabeça, fraqueza e aumento ou diminuição da frequência cardíaca. Qualquer pessoa preocupada que uma criança ou adulto possa estar sofrendo uma overdose de nicotina deve procurar ajuda médica imediata.

Regulamentação governamental de produtos de tabaco

Os malefícios dos produtos fumígenos para a saúde pública e seus reflexos na sociedade brasileira fazem com que a própria Constituição Federal, em seu art. 220, §4º, determine a restrição à sua propaganda comercial e o uso da advertência sobre os malefícios do seu uso.

Ainda, existem resoluções da Anvisa que i) proíbe a comercialização, a importação e a propaganda de quaisquer dispositivos eletrônicos para fumar, conhecidos como cigarro eletrônico; ii) dispõe sobre os limites máximos de alcatrão, nicotina e monóxido de carbono nos cigarros e a restrição do uso de aditivos nos produtos fumígenos derivados do tabaco, e dá outras providências; iii) dispõe sobre embalagens e advertências sanitárias para produtos fumígenos derivados do tabaco; e iv) dispõe sobre a exposição à venda e a comercialização de produtos fumígenos derivados do tabaco.

A partir do ano de 2008, oito estados brasileiros (SP, RJ, RO, RR, AM, MT, PB e PR) estabeleceram a proibição do fumo em locais fechados, e mais de 20 municípios deram um grande passo em defesa da saúde pública e ocupacional ao aprovar e implementar leis que criam ambientes fechados livres do tabaco.

Pontos a serem lembrados

  • O tabaco é um produto processado a partir das folhas de uma planta, que são secas e fermentadas. O tabaco contém nicotina, o ingrediente que pode levar a dependência.

  • As pessoas podem fumar, mastigar ou cheirar tabaco.

  • A nicotina atua no cérebro estimulando as glândulas suprarrenais a liberar o hormônio epinefrina (adrenalina) e aumentando os níveis de dopamina.

  • O tabagismo pode levar ao câncer de pulmão, bronquite crônica e enfisema. Além de aumenta o risco de doença cardíaca, que pode levar a acidente vascular cerebral ou ataque cardíaco. Fumar também tem sido associado a outros tipos de câncer, leucemia, catarata e pneumonia. 

  • O fumo passivo pode causar câncer de pulmão e doenças cardíacas, bem como outros efeitos na saúde de adultos e crianças.

  • Para muitos que usam tabaco, as alterações cerebrais provocadas pela exposição contínua à nicotina resultam em dependência química.

  • Tanto os tratamentos comportamentais quanto os medicamentos podem ajudar as pessoas a parar de fumar, mas a combinação de medicação com aconselhamento psicológico é mais eficaz do que qualquer um dos métodos utilizados de forma isolada.

  • Apesar da overdose por nicotina ser possível, ela geralmente ocorra em crianças pequenas que acidentalmente mastigam chicletes ou adesivos de nicotina ou engolem líquido de cigarro eletrônico.

  • Qualquer pessoa preocupada que uma criança ou adulto possa estar sofrendo uma overdose de nicotina deve procurar ajuda médica imediatamente. 

  • Fonte: Texto traduzido e adaptado do National Institute on Drug Abuse; National Institutes of Health; U.S. Department of Health and Human Services (Instituto Nacional sobre Abuso de Drogas; Institutos Nacionais de Saúde; Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA) e da ACT Promoção da Saúde