A exposição do cigarro e álcool na plataforma Netflix e Amazon Prime

Por Camila Oliveira


Um estudo realizado no Reino Unido foi o primeiro a quantificar a exposição de tabaco e álcool em plataformas de streaming. Foram analisados 50 episódios das cinco séries mais populares da Netflix e Amazon Prime, comparando os resultados com estudos anteriores sobre o conteúdo de televisão no horário nobre no Reino Unido. Os responsáveis pelo estudo relatam que essas plataformas são fontes potencialmente importantes de exposição a imagens de tabaco e álcool e que a exposição de a estes conteúdos audiovisuais podem levar adolescentes e jovens adultos a aumentarem a aceitação e ao uso subsequente, como já evidenciado por estudos prévios neste grupo etário.

Embora estudos anteriores tenham quantificado as imagens do consumo de tabaco e álcool em filmes e programas de televisão, os hábitos de visualização de jovens e adultos estão mudando e os serviços de streaming, como Netflix e Amazon Prime, estão se tornando cada vez mais populares. Jovens de 5 a 16 anos agora têm mais probabilidade de terem assistido a um programa no formato streaming do que a programas em canais de TV convencionais, pois o novo formato permite que os usuários assistam ao que quiserem em qualquer momento do dia.

Foram codificados, através de análise de conteúdo, 2704 intervalos de 1 minuto de 50 episódios das 5 séries mais assistidas destas duas empresas de streaming em 2016. O conteúdo sobre tabaco apareceu em 37 episódios (74% dos episódios avaliados). A categoria mais comum de conteúdo de tabaco observada foi o seu uso real, que apareceu em 33 episódios. Três intervalos mostraram o uso de tabaco por personagens menores de 18 anos. O programa que mais mostrou o uso de tabaco foi 'The Crown' no Netflix, com 60 intervalos (24% de todos os intervalos desta série). Marca de tabaco apareceu uma vez em um episódio de “Stranger Things” no Netflix.

Já, bebidas alcoólicas apareceram em 363 intervalos (13% de todos os intervalos) de 47 episódios (94% de todos os episódios). O tipo de conteúdo de álcool mais prevalente foi o uso inferido. O uso real de álcool apareceu em 159 intervalos em 40 episódios (80% de todos os episódios). O tipo de bebida mais comumente consumido nas cenas eram os destilados. O programa com mais intervalos de 1 minuto contendo o uso real de álcool foi o “Golias”, no Amazon Prime. O uso de álcool inferido foi observado em 43 episódios (86% de todos os episódios), mais comumente na forma de personagens segurando bebidas alcoólicas (87% dos intervalos). Outras referências a bebidas alcoólicas apareceram em 35 episódios (70% de todos os episódios), mais comumente garrafas de álcool sendo mostradas na tela (111 intervalos, 79% dos intervalos). Dezesseis marcas diferentes foram vistas e a mais prevalente foi a ‘Budweiser’. No entanto, essa marca só foi vista na programação original da Netflix. Nenhuma marca de vinho foi observada.

As descobertas relatadas neste estudos são muito significativas, pois indicam que os serviços de streaming são uma fonte adicional de exposição à propaganda de drogas lícitas. Os legisladores precisam entender as mudanças nos hábitos de entretenimento em audiovisual e o alcance global dessas plataformas, de maneira a pensar formas de controlar e reduzir a exposição dos jovens a este tipo de marketing e normalização do consumo de substâncias.

Fonte: Barker et al, 2019 - <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30765410/>




Copyright © 2019. Todos os direitos são reservados ao Núcleo de Pesquisa em Prevenção ao Uso de Álcool e outras drogas (Previna). O conteúdo deste site é protegido pela Lei de direitos autorais (Lei nº 9.610/1998), sendo vedada a sua reprodução, total ou parcial, a partir desta obra, por qualquer meio ou processo eletrônico, digital, ou mecânico (sistemas gráficos, microfílmicos, fotográficos, reprográficos, de fotocópia, fonográficos e de gravação, videográficos) sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais.